Rotina Raio X de Tórax, Como Realizar, passos

Vamos descrever a rotina de Tórax, como realizar as incidências da melhor maneira possível.

A Rotina de Tórax é PA e Perfil porém falaremos também do raio x de Tórax no Leito, tudo explicado para estudantes e também para profissionais que queiram se manter atualizados.

PA de Tórax

Chassi, Cassete, Filme: 35×43 ou 35×35 na Longitudinal (utilizar numerador, identificador do paciente do lado direito da parte em PA).

Posição do Paciente: Paciente em pé sendo essa posição tecnicamente chamada de ortostático com os pés paralelos aos ombros.

Posição da parte: o paciente estará com a parte anterior do tórax mais próxima do cassete ou chassi, que estará dentro do buck mural.

Os braços do lado do corpo, (membros superiores) com uma leve flexão dos cotovelos estando apoiados com dorso das mãos nas cristas ilíacas com a palma da mão voltada para trás.

Ombros rodados para frente. O ato de apoiar o dorso das mãos (parte posterior) nas crista ilíacas, com as palmas das mãos voltadas para trás, facilitará que a posição dos ombros esteja o mais anterior possível.

Cabeça com uma leve extensão podendo ser apoiada na topo do buck mural, conforme você pode ver nas imagens.

O plano Médio Sagital deverá estar centralizada corretamente com o Buck Mural, assegurar que não haja rotação da parte.

DFOFI: A distância foco filme será de 180 centímetros, Um metro e oitenta.

Raio Central: Perpendicular, sendo que o RC deve estar de 8 a 10 Centímetros abaixo da incisura jugular, na vértebra Torácica T7.

Antes do acionamento do Raio X pedir para o paciente fazer inspiração total (encher o pulmão de ar) e segurar, e então fazer o acionamento do Raio.

Proteção: Utilizar Avental plumbífero para proteção de órgãos genitais, conforme você vê nas fotos da incidência PA de Tórax realizada.

Estruturas anatômicas Observadas: A radiografia PA de tórax permite observar as seguintes estruturas: pulmões, ápices pulmonares, brônquios, coração, diafragma, grandes vasos, caixa torácica, ângulo costofrênico e traqueia.

Imagens Incidência PA Tórax

 

O Raio Central deve ser perpendicular entrando em T7, também podendo ser localizado de 8 a 10 cm abaixo da incisura jugular.
A utilização do avental plumbífero é indispensável, conforme podemos ver nesta foto.
Assegurar ausência de rotação da parte, com cotovelos levemente flexionados e dorço das mãos apoiados sobre as cristas Ilíacas, cabeça realizando movimento de extensão.

 

Perfil de Tórax ou lateral de Tórax

Chassi, Cassete, Filme: 35×43 ou 35×35 na longitudinal.

DFOFI: Distância Foco Filme de 180 cm, um metro e oitenta.

Posição do Paciente: O paciente continua em ortostática, com o lado esquerdo encostado no buck mural.

Posição da parte: Braços elevados na cabeça, com cotovelos flexionados com dedos das mãos cruzados atras da cabeça, queixo elevado de maneira que a cabeça fique em uma leve extensão.

Assegurar ausência de rotação, e centralizar o tórax no buck mural.

Raio Central: Na altura da vértebra da coluna vertebral, T7, localizada de 8 a 10 cm abaixo da incisura jugular.

Solicitar que o paciente possa encher o pulmão de ar e segurar (apneia inspiratória) e então fazer o acionamento do raio.

Proteção: Utilizar avental de chumbo plumbífero para proteger órgãos genitais.

Imagens Incidência Perfil ou Lateral de Tórax

Realização da incidência lateral de tórax para paciente em cadeira de rodas
Posição dos braços acima da cabeça e apneia inspiratória são indispensáveis.
Colimação correta com raio central a nível de T7 sendo 8 a 10 cm abaixo da incisura jugular.
Leia também:
  • Conceitos de Radiologia, História e Equipamentos

  • Atividades sobre os planetas do Sistema Solar

  • Atividade sobre esqueleto Humano para Imprimir

  • Moldes da Letra R para Imprimir e baixar

  • ROUPAS PARA FESTA A FANTASIA masculina e feminina em fotos